ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE TORRES VEDRAS

INÍCIO


VER TRANSMISSÃO
EM DIRETO

ATAS

EDITAIS

PARTICIPAÇÃO PÚBLICA

AMJ

"Representamos os nossos concidadãos e estes esperam de nós isso mesmo, elevação no debate e conduta irrepreensível, tanto no cumprimento das regras regimentais, como de ética politica. 

Tenho a convicção plena que iremos fazer um grande trabalho em prol dos Torrienses."

 

Excerto de "Algumas palavras..." de José Manuel Correia,
presidente da Assembleia Municipal de Torres Vedras

Assuntos da área da Saúde deram origem a moções aprovadas pela Assembleia Municipal

Duas moções cujo tema se prende com assuntos da área da Saúde foram aprovadas na reunião da Assembleia Municipal de Torres Vedras realizada no dia 29 de junho.

Uma dessas moções exige que “o Ministério da Saúde encontre uma solução urgente para a colocação de médicos no CHO em número suficiente, para que os serviços de urgência não sejam encerrados, colocando em causa a prestação dos mais básicos cuidados de saúde”. Esta moção foi elaborada, segundo o texto da mesma, pelo facto de recentemente ter sido “demonstrado ao País, através de reportagens realizadas por todos os órgãos nacionais de comunicação social, a triste realidade vivida no Centro Hospitalar do Oeste (CHO) e em tantos outros Centros Hospitalares por este país fora, em que se encerraram Urgências em várias valências e em particular na valência de Obstetrícia e Ginecologia, ficando bem patente as dificuldades sentidas na prestação de cuidados de saúde por parte dos seus profissionais. Ficou por demais demonstrado que esses encerramentos resultam exclusivamente da escassez de recursos humanos”. O documento deixa ainda um agradecimento: “No CHO durante este tempo de pandemia mais se agravou esta situação [de escassez de recursos humanos] e a prestação dos cuidados de saúde apenas foi possível graças ao profissionalismo, abnegação e humanismo dos seus profissionais de saúde, a quem deixamos aqui o nosso reconhecido agradecimento em nome de todos os Torrienses”.

Esta moção será enviada ao Primeiro Ministro, à Ministra da Saúde, a secretários de Estado, à ARS-LVT (Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo) e ao Conselho de administração do CHO.

A outra moção aprovada na mais recente sessão da Assembleia Municipal de Torres Vedras está relacionada com a “1.ª fase de um estudo realizado pela “NOVA Information Management School (NOVA IMS)”, denominado “Estudo sobre o Futuro da Política Pública da Saúde do Oeste: Estudo Qualitativo e Estudo de Localização”, onde se apresenta uma proposta de “definição da localização do futuro Hospital do Oeste”. “É fundamental que a CIM Oeste apresente o mais rapidamente possível ao Governo a proposta de localização para um novo hospital para a região”, pode ler-se nessa moção, por meio da qual “a Assembleia Municipal de Torres Vedras vem recomendar à Sra. Presidente da Câmara Municipal que no exercício de todas as Suas competências faça com que, no mais curto espaço de tempo possível, a solução de localização proposta no estudo em causa seja presente e acordada com o Governo da Republica”.

De referir que o texto de ambas as moções, as quais foram aprovadas por unanimidade, foi consensualizado entre os representantes das várias forças políticas com assento na Assembleia Municipal de Torres Vedras.